O juiz que deletava tweets

Trilha sonora recomendada para ler o texto: Leandro e Leonardo.

Algumas paixões são misteriosas. A dos homens por carros, por exemplo, sempre me intrigou. A do juiz da Lava Jato que sonha em ser tuiteiro é outra que me comove.

Não aprendi dizer adeus

1/2018. DELETADO ? Dúvida

É bom que o juiz saiba que tuiteiro não lembra o aniversário da mãe, mas tem uma memória implacável para tuítes deletados. Começo minha seleção pela despedida BÁSICA que tuiteiros dão toda segunda e como NÃO TEM VERGONHA NA CARA voltam já na quarta como se nada tivesse acontecido.

Não sei se vou me acostumar

19 de fevereiro de 2019. DELETADO

AffffFFFFFFFFffFFFFFFFFFFF COMO VOCÊS SÃO BOBOS. Aquele dia que o tuiteiro tá de SACO CHEIO e sai desmerecendo a timeline toda. “PORQUE VCS NÃO CONSEGUEM FALAR SÉRIO. CRESÇAM BLABLABLA”. Duas horas depois o tuiteiro tá lá postando um MEME. Normal, seu juiz.

Apesar de tanto amor, vai ser melhor assim…

4/2018. DELETADO

Como toda interação é suspeita, pois o Twitter uma cidade do interior e todo mundo sabe de tudo, juiz fez a DIPLOMÁTICA. Acontece que MAGNO MALTA FICOU TÃO LOKA que acrescentou os sobrenomes Moro e Bretas em seu nome de registro no painel eletrônico no Senado Federal. Em seguida, o juiz deletou a mensagem carinhosa enviada para o então senador Magno Malta BRETAS.

É por você que canto

5/2018. DELETADO

Super normal também. Quando você fala uma merda e daí uma pessoa com influência retuíta, tipo a Monica Bergamo, chega o coração dispara. EITA, APAGA, APAGA. Já passei por isso quando tuitei que o Eduardo Cunha estava num flat em Moema (é uma piada interna, mas amigos jornalistas começaram a ligar e PENSE NUM DESESPERO). Alguém lembra do que o Bretas tava falando nesse episódio REPUTAÇÃO?

Sonho por Sonho

10/2018. DELETADO.

ISSO É MUITO TUITEIRO! Todo baseado na tal “lacração”, termo usado pelos jovens para descrever atos de “querer aparecer”, Bretas aproveitou o protesto de Roger Waters para:

  1. Dizer que é MÚSICO, “uma pessoa culta, toca até instrumento, veja”.
  2. Apoiar Bolsonaro desmerecendo Roger Waters.

Eu juro. Por mim mesmo. Por Deus, por meus pais. Vou te amar…

DELETADO?

Se o corregedor nacional de Justiça não vê violação em comentário de Bretas sobre política no Twitter, QUEM SOU EU?

“Qual é a relevância desse texto mesmo?” Perguntaria o juiz baluarte da sabedoria. A resposta é: nenhuma. Mas li em algum ensinamento do Olavo de Carvalho que a personalidade, o caráter, entre outras coisas, estão nas sutilezas.

Uma ótima quarta.

A timeline de Jair Bolsonaro, Parte III: 24% dos Tweets do presidente, em fevereiro, são sobre “ideologias”

Continuando a avaliação da timeline do presidente Jair Bolsonaro nos dez primeiros dias de fevereiro.

Novos números demonstram uma atenção especial ao assunto “Ideologias”.

Foram 17 posts abordando o assunto nos dez primeiros dias de fevereiro; uma média de 1,7 post sobre “ideologia” por dia.

Dos 70 posts observados, entre originais e retuítes, 17 se enquadram na categoria “Ideologia”: 24% do total observado. Três tweets com emojis foram ignorados.

Nos dez primeiros dias de janeiro, proporção foi de 25%.

Os ministros Tarcisio Gomes, Ernesto Araujo, Damares Alves e os filhos Eduardo e Carlos Bolsonaro são os perfis mais retuítados pelo presidente brasileiro. O vice, General Mourão, não é retuítado por Jair Bolsonaro no período.

Esta é uma pesquisa em desenvolvimento. Como apontei no primeiro post desta série, meu objetivo é avaliar a organização da Comunicação interna de Jair Bolsonaro através da análise de suas redes sociais.

Recomendo, ainda, a leitura da coluna de Paula Cesarino Costa, publicada ontem na Folha, sobre o uso que a família Bolsonaro e seus apoiadores fazem das redes sociais

Críticas à imprensa e ‘ideologia’ representam 38% da timeline de Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro publicou 211 tweets entre 1 e 31 de janeiro de 2019. Emojis foram excluídos nessa análise. Cerca de 17% deles são ataques diretos à imprensa e jornalistas.

bolsonaro e imprensa.png

  • Referências a partidos de oposição, como insinuações sobre a relação do PSOL com o atentado, comparações com Lula e ‘despetização’, representam 21%.
  • Pode-se dizer que 38% da timeline de Bolsonaro em janeiro foi uma forma de se proteger ‘atacando’.

TIMELINE janeiro Bolsonaro.png

  • Nos últimos dez dias, Bolsonaro triplicou o número de tweets, assim como o número de ataques à imprensa. Entre 1 e 10 de janeiro, foram sete tweets. Entre 21 e 31 de janeiro, foram 21 tweets.

grande dia

  • As principais referências externas do presidente são os perfis Renova, Isentões, Falha de São Paulo e OdiodoBem.

bolsonaro insentoes.png

  • Apenas dois tweets relacionados à imprensa foram sem tom pejorativo: entrevista à Bloomberg e vídeo da TV Record.

bolsonaro record.png

  • A linguagem de Bolsonaro, e aqui não há novidade, ainda não se descolou da linguagem do filho, Carlos Bolsonaro.

bolsonaro jean willis.png

  • A renúncia do ex-deputado Jean Willys, a tragédia em Brumadinho, a participação em Davos e a cirugia do presidente foram os principais assuntos nesse período.

bolsonaro e falha.png

  • A linguagem utilizada pelo presidente durante a tragédia em Minas Gerais teve um tom mais pessoal, mais apropriado ao cargo que Jair Bolsonaro ocupa.

Bolsonaro Brumadinho

A timeline de Jair Bolsonaro: dez dias

A família Bolsonaro, e isso não é novidade, bate muito na mesma tecla: a imprensa. Mas isso é apenas uma percepção nossa ou uma realidade projetada deliberadamente pelo governo? É tão aleatório assim ?

Não sei, mas observei a organização dessa agenda nos últimos dez dias com base em critérios de pesquisa e compartilho aqui uma AMOSTRA. Os resultados iniciais já indicam alguns possíveis padrões.

Canal: Twitter

Período: 1 a 10 de janeiro

Volume observado: 85 tweets (63 originais e 22 Rts)

1. Timeline de Jair Bolsonaro: tweets originais

Com a tendência de repetir os assuntos, Bolsonaro falou sobre seis temas em 2019. Utilizei os seguintes critérios para essa divisão.

grafico sem RTS.png

Imprensa: críticas à imprensa e jornalistas

Institucional: reuniões, atividades, agenda

Posse: dia da posse

Ideologia: PT, “gestão anterior”, ideologia de gênero

Violência: armas, segurança, mortes

Percebam que ideologia (20%) e imprensa (11%), se reunidos, aproximam-se quantitativamente de Institucional (32%), assunto que predominou no período.

Vale ressaltar que é difícil categorizar os tweets de Bolsonaro pois os assuntos se sobrepõem. Exemplo:

tuite jair enem.png

Não entrarei em detalhes sobre os critérios no momento, mas adianto que considerei o tweet acima como Institucional, apesar de caber também em Ideologia.

2. Timeline de Jair Bolsonaro: retuítes

Nessa amostra, retuítes de mensagens publicadas pelos filhos (seis no total) e retuítes de perfis de “paródia” (seis no total) respondem pela principal projeção.

gráfico de retuites bolsonaro janeiro dez dias.png

Gráfico de RTs por perfis de Destaque

Gráfico de RTS dez primeiros dias.png

Isso quer dizer que 25% da timeline de Bolsonaro, nos dez primeiros dias de governo, foi alimentada por ‘fake news’ e ataques à imprensa (considerando que os Rts dos filhos também eram referências ao assunto): 14% Rts + 11% Tweets originais.

falha de sp 1.png

Para quem tem pouco ou nenhum contato com a Teoria da Comunicação, é válido reforçar que o curso da informação nas redes é muito mais ordenado do que uma caminhada aleatória. Estaria o governo reproduzindo o modelo centralizado de ‘mídia de massa’ ? Ainda é cedo, amor, mas a metodologia científica existe pra responder ‘coisas’ do tipo.

Em desenvolvimento…

bjs

cacaucb